postado em: 23/10/19 as 08:00, atualizado em: 25/10/19


Professores do interior de Rondônia recebem premiação do Projeto Justiça e Cidadania na Escola


Os três professores considerados mais participativos, envolvidos e integrados às atividades desenvolvidas ao longo do Projeto “Justiça e Cidadania na Escola”, receberam um notebook como prêmio pelo engajamento nas ações do Concurso de Redação e divulgação da Cartilha da Justiça e Cidadania. Coincidentemente, os três professores são do interior de Rondônia, concorreram com dezenas de outros colegas de diversas cidades do Estado até estarem habilitados a receber os prêmios em Porto Velho.

Se a Escola Tiradentes de Porto Velho predominou as premiações na Categoria Aluno na capital, a filial do interior ficou em primeiro lugar na Categoria Professor. Helen dos Anjos viajou mais de 700 km para receber o notebook – prêmio conferido aos três primeiros colocados. “Quando você desenvolve um projeto como esse tem todos os problemas que você acaba enfrentando, mas graças a Deus o projeto transcorreu de maneira bem tranquila. Conseguimos realizar todas as nossas ações com bastante tranquilidade e muito empenho por parte dos alunos. Acredito que quando nos propomos a um projeto dessa natureza, devemos dar o nosso melhor. Isso é fruto do nosso trabalho, pois eu me dediquei bastante, meus alunos também, assim como todos os outros professores envolvidos e com certeza isso nos traz motivação para participarmos de outros projetos”, afirmou a professora.

A Escola 28 de Novembro, da cidade de Ouro Preto do Oeste, ficou em 1º lugar na Categoria Escola e também conseguiu inserir a 2º colocada na Categoria Professor. A professora Gilmara Fernanda Oliveira Santos também compareceu a solenidade de entrega dos prêmios para receber o notebook como recompensa pelos esforços em orientar os alunos. “O tema foi agradável para os nossos alunos, eles gostaram muito e se sentiram parte desse universo jurídico. Eles perceberam que a Justiça deixou de ser uma coisa tão distante, muitos pesquisaram o assunto e trouxeram curiosidades. Nós fizemos dinâmicas, brincadeiras e jogos envolvendo o assunto. A premiação, de um modo geral, seja para o professor, para a escola ou para o aluno é um reconhecimento de todo esse trabalho”, destacou.

Entre alunos e professores premiados, curiosamente, o professor Agnaldo dos Santos da Escola Paulo de Assis Ribeiro, localizada no município de Colorado do Oeste, foi o único homem na solenidade de entrega dos prêmios, pois ficou em 3º lugar. “No campo jurídico dizem que todo crime tem uma motivação e o contrário também é verdadeiro, pois acredito que toda vitória tem que haver uma motivação e essa promovida pela Justiça foi muito gratificante. Agora, eu me sinto motivado cada vez mais a alcançar grandes objetivos”, analisou.

O projeto Justiça e Cidadania na Escola foi iniciado no primeiro semestre de 2019 mobilizou 21 comarcas do Estado, apenas duas não aderiram ao concurso deste ano – Ji-Paraná e Guajará-Mirim. O quantitativo de redações escritas foi de 6.040, o que significa 61% dos estudantes envolvidos na ação e das 64 escolas selecionadas no projeto, 63% encaminharam material aos avaliadores.

O Concurso de Redação teve como temática “Justiça e Cidadania também se aprendem na escola: meu conhecimento faz justiça” e foi uma realização da Associação dos Magistrados do Estado de Rondônia (Ameron), em parceria com a Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB) e Escola da Magistratura (Emeron). O projeto recebeu o apoio da Secretaria Estadual de Educação, Ciclo Cairu e Supermercados Irmãos Gonçalves.

Fonte: Assessoria de Comunicação - Ameron

comments powered by Disqus