postado em: 21/10/19 as 09:00, atualizado em: 25/10/19


Juízes entregam os prêmios aos ganhadores do Concurso de Redação do projeto Justiça e Cidadania na Escola



Iniciado há quatro meses, quando mais de quarenta magistrados foram até as escolas para palestrar, simular audiências e júris, o Projeto Justiça e Cidadania na Escola chegou ao fim, com a entrega dos prêmios aos vencedores do Concurso de Redação que residem na capital, além da premiação nas categorias Escola e Professor Orientador. A solenidade de entrega dos prêmios aconteceu no hall do edifício sede do Tribunal de Justiça do Estado de Rondônia.

Ao todo a Ameron, em parceria com a Escola da Magistratura (Emeron), Secretaria Estadual de Educação (SEDUC) e o patrocínio da Ciclo Cairu e dos Supermercados Irmãos Gonçalves, conseguiu premiar os alunos com 60 bicicletas, três retroprojetores multimídias para as escolas e três notebooks aos professores. “Infelizmente, só é possível premiar alguns, no entanto considero mesmo aqueles que não estão aqui presentes, mas que participaram do Concurso como vencedores, pois também já fui estudante como todos vocês e sei que não é fácil conhecer o funcionamento do Judiciário, desenvolver as ideias, organizar os textos e escolher muito bem cada palavra que vai compor a dissertação”, discursou um dos idealizadores da ação, o presidente da Associação dos Magistrados do Estado de Rondônia (Ameron), desembargador Alexandre Miguel.

O concurso de redação contou com a temática “Justiça e Cidadania também se aprendem na escola: meu conhecimento faz justiça”. Para facilitar a compreensão do conteúdo, a vice-presidente, Inês Moreira da Costa, lembrou das ações que os professores realizaram em algumas instituições de ensino com o objetivo de incentivar a participação do maior número possível de estudantes. A magistrada também recordou que além da visita de juízes e desembargadores nas escolas para tirar dúvidas sobre o papel do Judiciário na sociedade, os alunos participaram de simulações de audiências, júris e até visitaram as instalações dos fóruns nas respectivas comarcas. Por fim, a coordenadora da ação prestou uma homenagem aos professores ao recorrer as citações da escritora Cecília Meirelles, destacando as qualidades do professor. “Eu só tenho a agradecer a todos que participaram e fizeram desse um projeto belíssimo. Isso demonstra que vocês professores engajados nessa proposta estão conseguindo desenvolver outras competências e habilidades nesses alunos e é o que exigem as novas regras educacionais. Com certeza esses temas que os alunos trabalharam serão úteis para a vida deles e também como cidadãos que fazem parte da comunidade”, destacou.

Ao final, o diretor da Escola da Magistratura (Emeron), desembargador Marcos Alaor Diniz Grangeia, resgatou a história do projeto de distribuição das cartilhas da Justiça e Cidadania na Escola, inicialmente proposto pela Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB) e compartilhou a experiência que os magistrados tiveram ao visitar os estabelecimentos de ensino público, muitas vezes com pouca estrutura para levar ensino de qualidade aos estudantes. “É um projeto que leva o magistrado a ter contato com a realidade, que talvez com o dia a dia e toda correria o impede de ter. Para que todos saibam, fizemos questão de irmos até a periferia da periferia. As piores escolas com os piores Idebs, aonde existem as crianças mais vulneráveis à violência, à situação local e eu tive a oportunidade de ter contato com uma realidade que no dia a dia a gente só vê nas notícias de jornais. E ver o trabalho que os professores e diretores desenvolvem nessas escolas é uma coisa magnífica e a oportunidade de interagir em eles nos dá o sentido de que, realmente, eles estão lá”, proferiu durante o discurso o diretor da Emeron.

Antes de entregar os prêmios, o presidente da AMB, Jayme de Oliveira - impossibilitado de comparecer a cerimônia de premiação - gravou um vídeo parabenizando os vencedores, contou o real propósito do projeto e por fim incentivou a adesão da sociedade a participar de ações inovadoras como é o caso do Concurso de Redação. A entrega dos prêmios aos diretores, professores e alunos vencedores foi feita pelos magistrados que atuaram ao longo do projeto. A solenidade também teve a presença do proprietário da Ciclo Cairu Euflávio Odilon e da gerente de mídias e educação da Secretaria Estadual de Educação, Daniele Brasil - que representou o secretário, Suamy Vivecananda Lacerda Abreu.

Fonte: Assessoria de Comunicação - Ameron

comments powered by Disqus