postado em: 05/12/18 as 11:00, atualizado em: 06/12/18


Atividades práticas e teóricas marcam Curso de Segurança para Magistrados


Entre os dias 29 e 30 de novembro, a Associação dos Magistrados do Estado de Rondônia (Ameron), em parceria com a Escola da Magistratura (Emeron) realizou o curso de segurança para magistrados. As atividades envolveram teoria e prática, contando com o apoio da Polícia Militar do Estado de Rondônia.

O coordenador do curso, juiz Vinícius Simões do TJBA, destaca a importância de levar conhecimentos sobre segurança aos juízes e desembargadores do TJRO. “O tempo todo estamos sob risco e eventualmente expostos à ameaças. Então, temos que nos preparar, desde o início da formação como juiz a ter uma postura preventiva e também com a arma de fogo, reativa, se tiver necessidade. Não podemos esperar que aconteça um fato para começar a se formar nesse sentido”, avalia o magistrado baiano que é mestre e doutorando em segurança pública com longa experiência na condução de cursos dessa natureza.

Ao todo 20 magistrados participaram das atividades, para o presidente da Ameron, desembargador Alexandre Miguel, o curso atendeu as expectativas da magistratura. “A Ameron tem relatos de problemas vividos por magistrados, principalmente com os que lidam com o combate à criminalidade. Há juízes, inclusive, que são ameaçados de alguma forma pelo crime organizado ou por pessoas que já condenaram”, observa.

Para o juiz da comarca de Ji-Paraná, Maximiliano Darcy David Deitos, o curso representa, “a valorização da função do magistrado pela Ameron e Emeron, principalmente ao investir no item de capacitação do magistrado para que tenha noções básicas de segurança própria, proteção para a família e prevenções no fórum”, analisa o magistrado.

A juíza Simone de Melo, também veio de Ji-Paraná para Porto Velho, absorver mais conhecimentos referentes à segurança. “Aprendemos sobre segurança pública, inteligência, contra inteligência, a utilização da arma, os motivos pelos quais devemos utilizar o armamento. Também vimos questões a respeito da segurança e exposição nas redes sociais, tudo o que pode ser evitado para que a vida esteja exposta ao ponto de que pessoas más intencionadas possam cometer algum mau. Outra coisa interessante que foi ensinada é o posicionamento na sala de audiências para evitar formas de que o réu vai agredir dentro do fórum e como escapar”, destaca a magistrada.

No segundo dia de atividades, o capitão da PMRO, Rodrigo Silva Nunes, apresentou alguns modelos bélicos utilizados pelo batalhão e também ensinou aos magistrados como manusear e atirar. “Temos que levar em consideração que os nossos magistrados confrontam diretamente com aqueles que infringem a lei. No entanto, eles estão suscetíveis a violência por formas de represálias. Nós precisamos deixá-los em condições de se defender com armas de fogo”, explica o policial militar que ainda complementa, “Fizemos a identificação externa das peças e trabalhamos os fundamentos de tiros que são imprescindíveis para ter um resultado otimizado e satisfatório para o acerto, tempo e precisão”, completa.

Além dos magistrados citados acima, participaram do curso de segurança, os juízes: João Adalberto Castro Alves, João Luiz Rolim Sampaio, Inês Moreira da Costa, Roberta Cristina Garcia Macedo, Anita Magdelaine Belém, Juliana Paula Silva da Costa Brandão, Liliane Folha Pegoraro, Ane Bruinjé, Lucas Niero Flores, Rejane de Sousa Gonçalves Fraccaro, Maxulene de Sousa Freitas, Katyane Viana Lima Meira, Marisa de Almeida, Danilo Augusto Paccini, Fabiano Pegoraro, Hedy Carlos Soares, Euma Mendonça Tourinho, Ivens dos Reis Fernandes, Renato Bonifácio Melo, Adriano Lima Toldo e Marcus Vinícius dos Santos Oliveira.

Fonte: Assessoria de Comunicação - Ameron

comments powered by Disqus