postado em: 25/09/18 as 11:00, atualizado em: 27/09/18


Magistratura unida durante a visita do presidente da AMB à Rondônia


A visita do presidente da Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), Jayme de Oliveira, ao Estado de Rondônia reuniu magistrados de todos os fóruns da capital e até juízes que atuam na Justiça do Trabalho. Acompanhado pelo presidente da Associação dos Magistrados do Estado de Rondônia (Ameron), desembargador Alexandre Miguel, o presidente da AMB conversou com os colegas sobre os assuntos de interesse da magistratura, como recomposição salarial, Previdência, ajuda de custo moradia e as últimas resoluções.

As visitas ocorreram no período da manhã na 10ª Vara Cível e à tarde o magistrado paulista se dirigiu ao Tribunal Regional do Trabalho da 14ª Região, completando as reuniões no Fórum Criminal e da Família. “Temos passado por dificuldades, mas não é uma dificuldade só do Judiciário, é do Brasil de uma maneira geral. Nós acreditamos que aos poucos vamos superando cada adversidade e haveremos de conseguir trazer para a magistratura as conquistas necessárias e importantes ao Poder Judiciário”, afirmou o presidente da AMB.

Para o presidente da Ameron essa visita permitiu maior aproximação entre os juízes locais acerca dos assuntos que envolvem a magistratura nacional. “Embora a gente faça sempre esse papel de trazer as notícias, da forma mais detalhada e mais rápida possível, esse contato do Jayme com os colegas é sempre muito melhor. Conhecer a visão que ele pontuou para todos nós e como estão sendo conduzidos os assuntos que envolvem direitos e prerrogativas da magistratura é muito importante, principalmente para os colegas que não estão no trato diário das questões”, pontuou.

Durante a visita à Porto Velho, o presidente da AMB, Jayme de Oliveira, também comentou sobre o último relatório Justiça em Números, divulgado pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ). “O maior destaque dessa edição foi a produtividade da magistratura brasileira, os juízes trabalham demais e nós temos um volume de processos absurdo no Brasil. Não há paralelo em nenhuma outra Justiça e de nenhum outro país que tenha tantos processos em que se trabalha tanto. Nós temos que agir por uma reforma processual para que os processos tenham fim na segunda instância como regra final”, afirma o magistrado paulista. “O Justiça em Números revela também que o Judiciário traz para os cofres públicos mais da metade daquilo que consome. Portanto quando se fala em gasto do Judiciário esquece-se de falar o quanto o Judiciário está produzindo de recursos, de dinheiro para os cofres públicos e isso sem contar o que vem dos processos e o que retorna de recursos do combate à corrupção que tem atuação fundamental do Judiciário”, completa.

Nesta terça-feira (25), o presidente da AMB, Jayme de Oliveira e o presidente da Ameron, desembargador Alexandre Miguel deixaram Porto Velho para cumprir agenda em Rio Branco-AC , onde também participam da solenidade de posse do juiz Luís Vitório Camolez no cargo de desembargador do TJAC.

Fonte: Assessoria de Comunicação - Ameron

comments powered by Disqus